domingo, 10 de agosto de 2014

Mutilação Genital Brasileira - Episiotomia:

Episiotomia é o nome do corte feito na região da vagina para adiantar o parto. É um procedimento abusivo que visa adiantar o procedimento do parto para administrar o tempo dos profissionais obstetras. 



“A Episiotomia é um procedimento cirúrgico que consiste em fazer uma incisão na pele, gordura e músculo da gestante, bem na hora em que a cabeça do bebê está nascendo. A Episiotomia geralmente é feita em direção à coxa ou ânus da mulher. Utiliza-se um bisturi para fazer a incisão inicial, e depois aumenta-se essa incisão com uma tesoura cirúrgica.
Após feito o corte na vagina no momento do nascimento do bebê, é necessário reparar os danos à área. A Episiorrafia é a sutura da Episiotomia. É muito difícil estabelecer o tamanho normal de uma Episiorrafia, já que o tamanho da Episiotomia pode ser bastante variável. Já ouvi relatos de mulheres que levaram mais de 35 pontos na Episiorrafia, apesar da média em geral girar em torno de 10. Isso acontece porque, muitas vezes, os médicos introduzem as mãos na vagina da mulher, e aumentam a Episiotomia manualmente (pele é tecido, quando se faz um cortinho e estica, ela rasga!).
A Episiotomia é, muitas vezes, a parte mais traumatizante do parto. Todas as mulheres, sem excessão, temem passar por isso (algumas mulheres têm tanto medo que preferem optar por fazer uma cesariana só para escapar da Epísio). As que são submetidas ao procedimento muitas vezes relatam sensações extremamente desagradáveis, como a sensação de ter sido abusada ou mutilada. Efetivamente, por não haver indicação precisa e ser feita apenas por costume, a Episiotomia poderia ser considerada uma mutilação genital. Vale a pena precisar que muitas vezes a Episiotomia é feita sem o consentimento da mulher, e às vezes sem aviso prévio nem anestesia, o que faz com que seja um procedimento extremamente violento e doloroso, tanto física quanto psicologicamente.”
“A episiotomia tem sido indicada para facilitar a saída do bebê, prevenir a ruptura do períneo e o suposto afrouxamento vaginal provocado na passagem do feto pelos genitais no parto normal.
Na fala dos profissionais repete-se a crença de que, sem esse corte e essa sutura adicional que aperta a vagina, chamada "ponto do marido", o parceiro se desinteressaria sexualmente pela mulher ou, no mínimo, por sua vagina.
Se for considerado que, de acordo com evidências científicas, a episiotomia tem indicação de ser usada em cerca de 10% a 15% dos casos e ela é praticada em mais de 90% dos partos hospitalares na América Latina, pode-se entender que anualmente milhões de mulheres têm sua vulva e vagina cortadas e costuradas sem qualquer indicação médica. Um estudo mostrou que o uso rotineiro e desnecessário da episiotomia na América Latina desperdiça cerca de US$ 134 milhões só com o procedimento, sem contar nenhuma de suas freqüentes complicações.


Pode-se calcular o desperdício daquilo que é quantificável, como litros de sangue, dias de incapacidade, prejuízos na amamentação, material cirúrgico ou simplesmente dinheiro público, nesses milhões de episiotomias inúteis realizadas anualmente. Há ainda o imponderável sofrimento físico e emocional da mulher - além da mensagem de que seu corpo é defeituoso e de que ela será sexualmente desprezível se não se submeter a esse ritual, que supostamente lhe devolverá a "condição virginal".
Vários estudos mostram que a episiotomia provoca dor intensa. Mesmo nos serviços onde as mulheres não têm acesso a anestesia adequada, elas têm que enfrentar esses e outros procedimentos altamente dolorosos. Nessas situações, as mulheres freqüentemente gemem e choram de dor "do primeiro ao último ponto".”

Episiotomia: Mutilação Genital Brasileira: http://adeledoula.blogspot.com.br/2013/01/episiotomia-mutilacao-genital-brasileira.html
Campanha pela Abolição da Episiotomia de Rotina:http://www.amigasdoparto.com.br/episiotomia3.html

Episiotomia: http://doulanatural.blogspot.com.br/2011/12/episiotomia-dr-melania-amorim.html
Repercussões da episiotomia sobre a sexualidade:http://www.scielo.br/pdf/ean/v12n1/v12n1a07.pdf

10 comentários:

  1. Oi linda não conhecia seu blog entrei sem querê e ops amei que cantinho lindo você tem e seus post amei amei ja to seguindo e vou volta sempre pode ter certeza ahahaha mais agora queria uma visitinha no meu te espero la muito sucesso beijos.

    http://politcamenteincorreta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi tudo bem,eu passei por isso. Posso fazer alguma coisa contra eles. Tipo ainda doi de mais. Nem xixi eu consigo fazer direito pke ainda doi. Eles judiaram muito de min. Sofri demais me sinto péssima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente essa é a realidade da maioria das mulheres brasileiras... Obrigada por compartilhar conosco seu depoimento!

      Excluir
  3. Passei por isso a 15 anos atrás!!! Me cortaram e me costuraram sem anestesia. Mesmo eu falando p GO q estava doendo... Q tinha algo beliscando.. Ele só dizia n tem ND beliscando... Não to fazendo ND demais. Final foram 18 pontos sendo q 3 deles estouraram num "espirro"... Q dor terrível ate cair os pontos! N sei o que mais doía era sentar ou amamentar com os bicos rachados!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é uma lesão corporal. Precisamos divulgar para que ngm mais tenha que passar por isso. Obrigada por comentar!

      Excluir
  4. Nossa não tinha ideia de nada disso, li da primeira até a ultima palavra deste post. Que horror.
    E a declaração das queridas aqui em cima é de entristecer, que pena!
    Nenhum ser humano deveria passar por isso...

    Bom trabalho,
    www.anandamaciel.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! Pois é, triste que isso acontece todos os dias e é visto como algo comum. Precisamos divulgar mais para que outras mulheres não passem mais por isso.

      Excluir

Deixe aqui seu comentário: